A ÁGUIA É LIVRE E LIVRE VOA NO CÉU DA CATEDRAL
Domingo, 12 DE Fevereiro 2017

 

MIKLOS FEHER
 
Corre a nossa lágrima sofrida
P'lo Atleta caído em campo
Com um sorriso foi de partida
Vestindo o belo Sagrado Manto
 
Naquele ano de dois mil e quatro
Chovia num Inverno rigoroso
Jogava a bola de fino trato
P'ra um passe final primoroso
 
No MIKLOS FEHER seu coração parou
Para tristeza de tantos milhões
Em nosso peito seu amor ficou
P'ra eterna glória das multidões
 
Foi um desportista soberbo
Só não sabem os que difamam
Mas alguém disse que partem cedo
Quem os Deuses mais e mais amam
 
De olhar feliz por cada golo
Levantava o Estádio à emoção
P’ra este povo era o Consolo
E pró Benfica, um filho Campeão
 
Seus golos, era música p´ra dançar
E bailavam numa boa conversa
Seu tempo foi tão curto p'ra jogar
Sua corrida terminou bem depressa
 
Lá na paz do céus p´ra nós sorri
Quando a Águia bem alto o visita
Levando beijos dos adeptos, p´ra si
E a saudade da sua bela finta
 
Em cada vitória mora a lembrança
Daquele que é sempre nosso Atleta
Ele foi embora, deixou a esperança
Da fina vitória honrada e certa
 
Amigo FEHER, jamais esqueceremos
Que és outro símbolo imortal
E em cada título te agradecemos
Porque nele cintila teu celestial sinal
 
18-De: Fernando Ramos
25 Janeiro 2011
 
Um abraço de saudade
Dos Benfiquistas
Que jamais te esquecem
 
de: Fernando Ramos
publicado por aguiapoeta às 17:49
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Posts mais comentados
blogs SAPO